Depois do Spotify, Taylor Swift alfineta a Apple: “Não pedimos iPhone de graça”

A cantora não irá disponibilizar seu novo álbum na plataforma de streaming da gigante

taylor-swift-1989

Taylor Swift está na luta pelo reconhecimento e compensação justa pela sua obra e de seus colaboradores. A cantora decidiu por não incluir seu recente álbum, o “1989”, na nova plataforma de streaming da Apple: Apple Music, com lançamento previsto para Junho.

De olho no tempo que será liberado a conta gratuita por 03 meses ao público, a cantora chama a atenção para o não pagamento dos direitos das obras nesse período e para evitar novas polêmicas resolveu se justificar.

A cantora afirmou que essa é uma decisão pensada não apenas em sua carreira, já que tem investimento para “bancar” seus colaboradores, mas chama a atenção para os novos artistas. Muito cuidadosa com os comentários, a Taylor chega a afirmar que a Apple é uma de suas parceiras mais importantes, mas critica a não-remuneração desse período de 03 meses.

Cantores, compositores, produtores, entre outros, fazem parte do processo criativo de um CD e na defensiva da remuneração correta a esses profissionais, a cantora tem enfrentando as gigantes empresas e para Apple, deixou um recado: “Nós não pedimos iPhone de graça a vocês. Por favor, não nos peçam música sem nenhuma compensação“.